XVII Congresso Brasileiro de Aterosclerose

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Insuficiência Cardíaca diastólica – Análise da literatura recente

Resumo

Introdução: A insuficiência cardíaca (IC) é uma complexa síndrome clínica de diversas etiologias e com elevada prevalência. É uma preocupação crescente dos diferentes sistemas de saúde pública pelo seu elevado impacto econômico, associando-se, particularmente, aos custos das internações hospitalares. Os modelos fisiopatológicos conhecidos são de dois tipos: a insuficiência cardíaca com disfunção sistólica (ICDS) e a insuficiência cardíaca com fração de ejeção preservada (ICFEP). Do ponto de vista clínico, a IC progride por um infinito número de trajetórias − diferentes fenótipos −, dependendo de uma complexidade de interações com fatores modificadores da síndrome que são inerentes a cada indivíduo.

Métodos e materiais: Foram analisados estudos das bases de dados: Scielo, Medline e PubMed a partir dos seguintes descritores: insuficiência cardíaca e insuficiência cardíaca diastólica. Inicialmente foram encontrados 5640 estudos. Para seleção utilizou-se os seguintes critérios de inclusão: estudos datados de 2016 a 2019 e que abordassem o tratamento da insuficiência cardíaca diastólica. Ao total 40 artigos foram selecionados para análise.

Resultados: A detecção de sinais de disfunção diastólica através de novos conceitos sobre a função cardíaca e de medidas do Eco Doppler tecidual (EDT) são o suporte do diagnóstico da ICD. A Diretriz Européia estabelece três etapas obrigatórias para se fazer o diagnóstico da ICD, que são: presença de FE maior que 50%, evidências de disfunção diastólica no Ecocardiograma e presença de sinais ou sintomas para diagnóstico de IC. A ICD é de alta complexidade e sua detecção é um processo complexo que exige múltiplos indicadores e critérios para se ter uma identificação precisa.

Conclusão: Mesmo com prognóstico desfavorável a ICD é hoje uma síndrome clínica pouco valorizada quando comparada ao diagnóstico de outras doenças não cardíacas, tendo particularidades em seu diagnóstico e tratamento. Dada a heterogeneidade dos mecanismos causadores da ICD, o seu tratamento será sempre multifatorial e individualizado a cada doente. 

Sendo de indispensável importância o controle das comorbidades que desempenham papel

fundamental na redução da morbidade e da mortalidade da ICD. Os Peptídeos natriuréticos (BNP/Pró-BNP) e o Ecocardiograma com Doppler tecidual.

Área

Pesquisa Clínica

Instituições

UNIVERSIDADE BRASIL - Sao Paulo - Brasil

Autores

PATRICIA ZANATTA ANTUNES VIEIRA, FREDERICO SOARES DINIZ, AMANDA OLIVA SPAZIANI, RAISSA SILVA FROTA, HIANY CATHARINO LOURENÇÃO, ANDRESSA DA SILVA MACHADO PAULINO, MARIA FERNANDA DE AGUILAR AZEVEDO, LARISSA SANTOS FOGAÇA, FLÁVIO HENRIQUE NUEVO BENEZ DOS SANTOS