XVII Congresso Brasileiro de Aterosclerose

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Avaliação da prevalência de casos de doença isquêmica crônica nas diferentes regiões do país de acordo com dados do DATASUS

Resumo

Introdução: O envelhecimento populacional progressivo resulta em aumento da prevalência de doenças crônicas, entre as quais as doenças cardiovasculares ocupam lugar de destaque. As mudanças de estilo de vida têm acarretado a elevação de seus fatores de risco, que ao lado do envelhecimento acelerado da população, promovem um amendo da prevalência e incidência da doença isquêmica do coração. Nos estudos, principalmente no Brasil, a grande parte do conhecimento epidemiológico relacionado as doenças cardiovasculares advem dos estudos ecológicos, descritivos ou de estudos baseados em amostras não representativas. Apesar de ainda ser escassos os estudos analíticos em base populacional que podem contribuir para identificação da especificidade de fatores de risco para a doença isquêmica crônica ou interação desses fatores com o ambiente, tendo em vista as diferenças territoriais do estado brasileiro. Embora as doenças cardiovasculares ainda ocupem o primeiro lugar entre as causas de morte no país, ainda pouco se conhece sobre sua prevalência ou incidência na população, o que representa um descompasso diante das nações desenvolvidas. Metodologia: Foram utilizadas as bases de dados do Datasus, com a utilização de filtros para delimitar as regiões do país, relacionando com o sexo, cor, ano, patologia. Resultados: A partir dos dados coletados no banco de dados do Datasus, pode-se inferir que a mortalidade por doença isquêmica crônica, analisada por região, nos anos de 2013, 2014, 2015, 2016 e 2017 foram maiores na região Sudeste. Analisando a partir do sexo, tanto masculino, tanto feminino tiveram maior incidência na mesma região. Em relação a raça, branca e preta teve maior prevalência na região Sudeste. Conclusão: A partir dos resultados analisados, infere-se que há maior prevalência de casos de doença isquêmica crônica na região Sudeste. Observa-se que os fatores relacionados a região, sexo, raça, tem maior número na região Sudeste. A lacuna existente no Brasil, referente a estudos analíticos de base populacional que levem em consideração, além da prevalência de doença isquêmica, a identificação de fatores associados a esses desfecho.

Área

Pesquisa Clínica

Instituições

UNIVERSIDADE BRASIL - Sao Paulo - Brasil

Autores

FREDERICO SOARES DINIZ, PATRÍCIA ZANATTA ANTUNES VIEIRA, AMANDA OLIVA SPAZIANI, RAISSA SILVA FROTA, TALITA COSTA BARBOSA, MARIA FERNANDA DE AGUILAR AZEVEDO, GIOVANA TOMAELO BUNDER PELISSARI, LARISSA SANTOS FOGAÇA, FLÁVIO HENRIQUE NUEVO BENEZ DOS SANTOS