XVII Congresso Brasileiro de Aterosclerose

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Presença no sangue de células progenitoras endoteliais e micropartículas celulares estão associadas ao excesso de consumo de oxigênio pós-exercício (EPOC)

Resumo

Introdução: O exercício físico pode estimular a mobilização das células progenitoras endoteliais (CPE), contribuindo para reposição do endotélio senescente ou apoptótico .Recentes estudos têm demostrado que exercício físico pode aumentar o número e a atividade de CPE em indivíduos saudáveis, porém os seus efeitos na circulação de micropartículas celulares ainda não está claro. Métodos: Estudo transversal, caso-controle com a inclusão aleatória de indivíduos de ambos os gêneros, entre 18 e 49 anos, treinados, e não treinados e exercício físico de alta intensidade .Os sujeitos foram submetidos a teste ergoespirométrico em esteira rolante (TE) até exaustão voluntária para avaliação do consumo de oxigênio durante (Vo2max) e após o esforço (EPOC). Coletas de sangue foram realizadas previamente ao TE e analisadas por citometria de fluxo as células e micropartículas: CPE (CD4/KDR+), micropartículas endoteliais (MPE) e micropartículas plaquetárias (MPP)(CD51+). Teste da função endotelial pré-esforço foram realizadas por meio da dilatação mediada pelo fluxo via ultrassom braquial. Foram adotados níveis de significância quando p<0,05, e as análises de regressão foram ajustadas para o gênero e idade. Resultados: Foram incluídos 52 indivíduos treinados e 57 destreinados, de idade média de 32 anos . O Vo2max foi superior aos treinados 54.5 (6.6) quanto aos não treinados 31.0 (6.7)(p<0.001), bem como os valores de EPOC: treinados 314.5 (81) e não treinados 134.2 (64.5) (p<0.001). O grupo de indivíduos treinados apresentou maior número de CPE (p=0,021), MPE (p=o,o43) e MPP (p=0,430), quando comparado ao grupo de sujeitos não treinados. As analises de regressão linear revelaram que somente o EPOC foi associado inversamente à presença de CPE circulantes nos sujeitos treinados (β= -0,50; p= 0,040). Contudo, aos sujeitos não treinados, o EPOC esteve associado inversamente, somente à presença de MPP circulantes no sangue (β=-0,57; p=0,021).  Não foram observadas outras associações entre CPE, MPE e MPP com os marcadores de consumo de oxigênio e função endotelial. Conclusões: Este estudo inicial demonstra, pela primeira vez, que a presença de CPE ou micropartículas plaquetárias circulantes estão associadas ao excesso de consumo de oxigênio no pós-esforço, porém parecendo haver um efeito dependente do exercício físico intenso.

 

 

Área

Pesquisa Básica

Instituições

UNIFESP - Univers. Federal de São Paulo - Sao Paulo - Brasil

Autores

CELIA REGINA DE OLIVEIRA BITTENCOURT, Henrique A. R. Fonseca, Carolina Nunes França, , Maria Cristina O. Izar, Francisco A.H. Fonseca