XVII Congresso Brasileiro de Aterosclerose

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Associação entre consumo de alimentos ultraprocessados e inflamação em adultos – Estudo EpiFloripa

Resumo

Introdução: Os alimentos ultraprocessados (AUP) apresentam alta concentração de açúcar e/ou sódio, sendo que evidências científicas indicam a associação entre o consumo de AUP a alterações no padrão metabólico como obesidade, diabetes mellitus e doenças cardiovasculares. O objetivo do presente estudo é avaliar a associação entre o de consumo de açúcar e sódio provenientes dos AUP à inflamação associada a desfechos cardiovasculares (INFLACÁRDIO).

Métodos: Estudo de coorte, base populacional composta por adultos residentes em Florianópolis. Informações de consumo alimentar foram coletadas na segunda onda de coleta de dados (2012), usando 2 recordatórios de 24 horas (R24H) -primeiro R24H aplicado na amostra total e segundo R24H em subamostra de 40%. O consumo em gramas de açúcar e o consumo em miligramas de sódio proveniente dos AUP foi dividido em quartis, sendo que o quartil superior foi considerado como referência. O INFLACÁRDIO proposto foi elaborado a partir do z-score de PCR + razão segmentados/linfócitos + monócitos, sendo que os marcadores foram avaliados na terceira onda de coleta de dados (2014).

Análise Estatística: Para avaliar associação entre consumo alimentar e INFLACARDIO aplicou-se teste de regressão linear, avaliado por β e intervalo de confiança de 95% (IC95%). Fixou-se o nível de significância de 5%. Utilizou-se modelo hierárquico para ajustes de possíveis variáveis confundidoras (sexo, idade, renda, atividade física no lazer e deslocamento, síndrome metabólica e concentração sérica de vitamina D).

Resultados: Foram incluídos 496 indivíduos (54,0% mulheres, média de idade 40,41± 11,98 anos). No modelo ajustado, o quartil superior de consumo de açúcar de adição e sódio proveniente dos AUP apresentou associação positiva com INFLACÁRDIO (β:2,22; IC95% 1,20; 4,13, p=0,012) e (β: 1,64; IC95%1,06; 2,54, p=0,025), respectivamente. O quartil superior na participação calórica de AUP apresentou associação nula ao INFLACÁRDIO (β: 1,73; IC95%0,99; 3,03, p=0,054).

Conclusões: Verificou-se que o quartil superior do consumo de açúcar de adição e sódio proveniente de AUP, foram associados à inflamação. Estes resultados subsidiam orientações para restringir o consumo destes componentes alimentares com objetivo de reduzir o quadro de inflamação associado aos desfechos cardiovasculares.

Área

Pesquisa Clínica

Instituições

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA - Santa Catarina - Brasil, University of Adelaide - - Austrália

Autores

ANGELICA SCHERLOWSKI FASSULA, David Alejandro Gonzalez-Chica, Yara Maria Franco Moreno