XVII Congresso Brasileiro de Aterosclerose

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Expressão de microRNAs in vitro em cardiomiócitos HL-1:Relação com hipertrofia cardíaca

Resumo

Introdução: A hipertensão arterial sistêmica (HAS) está associada a alterações funcionais e/ou estruturais dos órgãos-alvo, com aumento do risco de eventos cardiovasculares. A elevação da pressão arterial produz um aumento da tensão na parede do ventrículo esquerdo, o qual pode levar ao aumento da massa ventricular (MVE), que é conhecida como hipertrofia do ventrículo esquerdo (HVE). MicroRNAs (miRNAs) são pequenas moléculas de RNAs endógenos que regulam a expressão gênica e têm sido implicados no desenvolvimento de hipertrofia cardíaca. Em estudo prévio, 10 miRNAs apresentaram expressão aumentada em pacientes hipertensos com HVE quando comparados aos hipertensos sem HVE. O objetivo deste estudo foi avaliar a expressão destes miRNAs in vitro em cardiomiócitos adultos HL-1, um modelo bem conhecido de hipertrofia.Métodos: Os cardiomiócitos HL-1 foram cultivados em meio Claycomb e tratados com Noradrenalina (NE) para induzir a hipertrofia. RNA total foi isolado usando O Kit Mirvana Paris. A expressão dos miRNAs e dos genes marcadores de hipertrofia foi analisada pela reação em cadeia da polimerase em tempo real (qRT-PCR). U6 e GAPDH foram utilizados como controle endógeno. As moléculas de mimic e inibidor de miR-145 foram transfectadas com lipofectamina 2000. As diferenças foram consideradas significativas quando p<0,05 por teste t.Resultados: A expressão de 6 miRNAs foi avaliada em cardiomiócito HL-1, sob estímulo hipertrófico da NE. Através de qRT-PCR, observamos o aumento da expressão dos miR-145-5p (2,4x; p<0,0001) e let7c (2,3x; p<0,0001) sob o estímulo da NE, enquanto o miRNA-30a-5p, apresentou apenas um ligeiro aumento (1,3x; p=0,009). Os demais miRNAs não apresentaram diferença estatisticamente significante. A expressão reduzida do miR-145 em cardiomiócitos transfectados com o inibidor-145 resultou na redução dos marcadores hipertróficos Nppa e Nppb nas células tratadas com NE. Por outro lado, cardiomiócitos não tratados com NE apresentaram um aumento na expressão destes marcadores quando transfectadas com o mimic-145.Conclusões: Nossos resultados sugerem associação entre o miR-145 e hipertrofia em cardiomiócitos HL-1. Outros miRNAs podem participar nesta resposta, como por exemplo o let7c e novos estudos sobre o papel destes miRNAs na hipertrofia cardíaca serão desenvolvidos.

Área

Pesquisa Básica

Instituições

FCM-UNICAMP - Sao Paulo - Brasil

Autores

ROBERTO SCHREIBER, Elisangela C.P. Lopes, Layde R. Paim, Lhays S.N. Censi, Eduarda O.Z. Minin, Edmilson R. Marques, Luís F.R.S. Carvalho-Romano, José R. Matos-Souza, Wilson Nadruz Jr