XVII Congresso Brasileiro de Aterosclerose

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

PREVALÊNCIA E FATORES ASSOCIADOS À ATEROSCLEROSE SUBCLÍNICA EM AFRODESCENDENTES HIPERTENSOS DE COMUNIDADES REMANESCENTES DE QUILOMBO

Resumo

INTRODUÇÃO:  No Brasil são escassas as informações sobre a doença aterosclerótica e fatores associados em grupos minoritários, não sendo bem estabelecida sua ocorrência nos diferentes grupos étnicos e o impacto dos fatores de risco nesta associação. METODOS: Trata-se da avaliação transversal de um subgrupo de indivíduos avaliados pelo estudo PREVRENAL, uma coorte de base populacional que teve o objetivo de diagnosticar doença renal e co-morbidades em afrodescendentes de comunidades remanescentes de quilombo no norte do Maranhão. Para a composição da presente amostra, foram considerados pacientes com idade ≥ 18 anos, diagnóstico prévio de HAS e sem antecedentes de eventos cardiovasculares e/ou cerebrovasculares. Os marcadores de lesão aterosclerótica avaliados foram 1-escore de calcificação coronariana (ECC) e 2-espessura médio-intimal de carótidas (EMIC). Os dados clínicos e laboratoriais foram coletadas no banco de dados do PREVRENAL. Para avaliar os fatores associados à ocorrência de aterosclerose foi ajustado o modelo de Poisson com variância robusta. Os dados foram processados no software Stata 14.0. RESULTADOS: Foram avaliadas 128 pessoas, com média de idade de 60,6 (±12,2) anos, sendo a maioria do sexo feminino (66,4%). Foi observada a ocorrência de 15,6% de diabetes mellitus, 24,2% de tabagistas, 25,0% de obesos e 11,7% com filtração glomerular reduzida. O ECC>0 estava presente em 39,1% e a EMIC≥0,9mm em 57,0%. Após análise ajustada, os fatores associados à calcificação coronariana foram: sexo masculino (RP 1,57, p=0,02) e idade >60 anos (RP 1,03, p<0,01); os fatores associados à aterosclerose carotídea foram: sexo masculino (RP 1,13, p<0,01) idade >60 anos (RP 1,01, p<0,01), tabagismo (RP 1,09, p=0,04) e albuminúria >30mg/g (RP 1,12, p<0,01). CONCLUSÃO: A prevalência de lesões ateroscleróticas foi significativa nesta amostra de indivíduos afrodescendentes assintomáticos. Fatores de risco tradicionais como idade, sexo e tabagismo estiveram associados a estas lesões. A albuminúria que é um marcador de dano glomerular e de risco cardiovascular foi associada apenas ao espessamento médio-intimal de carótidas.

Área

Pesquisa Clínica

Instituições

HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO - Maranhao - Brasil

Autores

DYEGO JOSE DE ARAUJO BRITO, RAIMUNDA SHEYLA CARNEIRO DIAS, ELISANGELA MILHOMEM DOS SANTOS, JOYCE SANTOS LAGES, ENEDINO FONTES, ALCIONE MIRANDA DOS SANTOS, DENIZAR VIANNA ARAUJO, NATALINO SALGADO FILHO