XVII Congresso Brasileiro de Aterosclerose

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Análise da saúde cardiovascular em acadêmicos de enfermagem: levantamento dos fatores de risco para doença arterial coronariana

Resumo

Introdução: As doenças cardiovasculares representam a principal causa de morte no Brasil, sendo que os fatores de risco que contribuem para o desenvolvimento da Doença Arterial Coronariana (DAC) têm crescido em proporções epidêmicas nos últimos anos. Com isso, este estudo teve como objetivo analisar os principais fatores de risco para DAC, observados nos acadêmicos de enfermagem. Método: Trata-se de um estudo de caráter observacional descritivo, com abordagem quantitativa, com acadêmicos do curso de graduação em enfermagem de uma universidade pública localizada no município de Niterói/Rio de Janeiro. A coleta de dados envolveu a implementação de um questionário com perguntas semiestruturadas e outros seis instrumentos validados e aplicáveis aos objetivos do estudo. O escore PROCAM Quick Check foi utilizado para estimar o risco cardiovascular da população. Análise estatística: Para calcular a diferença entre as médias foram utilizados o teste T Student ou Mann Whitney e para avaliar a associação entre as variáveis foi utilizado o Qui quadrado, considerando-se o p-valor 0,005 para significância estatística. Resultados: Foram analisados 110 acadêmicos, sendo 88 (80%) do sexo feminino, com média de 22,03±3,63 anos. Entre os fatores de risco cardiovasculares mais relevantes estão o consumo de bebida alcoólica em 56,4%, com consumo de risco em 32,3%; história familiar de DAC (31,8%), alimentação, classificada como ruim em 49,5% e estresse, cujo domínio “Formação Profissional” recebeu a maior média, com 11,62±3,42 pontos. Associação entre os valores de índice de massa corporal (IMC) e circunferência abdominal (CA) demonstrou 8,65% de obesidade associada à medida elevada de CA nas mulheres, contrapondo-se a 1,92% dessa correlação nos homens. Correlação entre os fatores analisados e o ciclo de graduação dos acadêmicos destaca que os maiores índices de estresse (11,81%), obesidade (7,69%), etilismo (17,74%) e padrão alimentar inadequados (24,77%), foram encontrados no ciclo de transição (4º, 5º e 6º período) da universidade. Conclusão: Estudar o comportamento dos acadêmicos durante a graduação oferece dados importantes acerca de uma população jovem, propondo a reflexão acerca de possíveis intervenções a serem construídas para o auxílio na redução dos riscos para DAC e consequente prevenção de agravos nessa população.

Área

Pesquisa Básica

Instituições

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE - Rio de Janeiro - Brasil

Autores

HADASSA DA SILVA CALDEIRA DE MORAES, Lyvia da Silva Figueiredo, Ana Carla Dantas Cavalcanti, Juliana Melo Vellozo, Paula Vanessa Peclat Flores, Murillo Henrique Azevedo da Silva, Romullo Gonçalves de Souza Santos