XVII Congresso Brasileiro de Aterosclerose

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Fatores de risco cardiovascular em pacientes com HIV e a relação com a obesidade

Resumo

Introdução: A Síndrome da Imunodeficiência adquirida é um quadro imunossupressor considerado um problema de saúde pública, pela sua caraterística grave e pandêmica. Os inibidores de protease usados na terapia antirretroviral (TARV), em portadores do HIV, estão associados a anormalidades metabólicas, que podem levar ao risco de doença aterosclerótica, dislipidemias, resistência insulínica e obesidade central. O objetivo do presente estudo é analisar os fatores de risco em pacientes com HIV, enfocando nas condições cardiovasculares e relacioná-los com a obesidade. Métodos: Foi feita uma revisão sistemática da literatura, baseada em nove artigos de 2008 a 2016, com os bancos de Scielo, Lilacs e PubMed. Resultados: A infecção pelo HIV determina um perfil lipídico desfavorável, como hipertrigliceridemia e baixo HDL-c. Somado a esses fatores, a utilização de TARV tem elevado o número de casos de síndrome coronariana e eventos vasculares periféricos, pela toxidade dos medicamentos e alterações metabólicas secundárias. O estudo coorte comparativo entre um grupo composto por 35 indivíduos não-obesos infectados e outro por 35 pacientes obesos infectados apresenta o panorama de que as pessoas não-obesas e obesas com HIV não diferem na clínica. Vale ressaltar que os indivíduos obesos não-infectados pelo vírus eram mais jovens e com a menor tendência de serem fumantes do que os obesos portadores. Sabe-se que a obesidade está associada com a maior liberação de insulina, a diminuição da sua sensibilidade e com o aumento da sensibilidade da PCR, IL-6 e ao TNF-alfa. Entretanto, constata-se que o paciente obeso infectado pelo HIV possui diversas alterações lipídicas, uma molécula de adesão intercelular-1 circulante mais eficiente, assim como as moléculas de adesão celular vascular-1, quando contraposto com os parâmetros de um indivíduo obeso e não-infectado pelo vírus, após ajustar as comparações de acordo com a idade e outros fatores. Conclusões: A literatura demonstra que as doenças cardiovasculares acometem muitos portadores do vírus e estes são mais propensos a alterações lipídicas. Quando o HIV está associada à obesidade, o indivíduo mostra-se mais propenso às patologias em comparação a indivíduos com a mesma idade, porém sem o vírus. Faz-se necessária, dessa forma, a atenção minuciosa aos HIV positivos quanto aos fatores cardiovasculares.

Área

Pesquisa Clínica

Instituições

Universidade de Vassouras - Rio de Janeiro - Brasil

Autores

CAIO TEIXEIRA DOS SANTOS, RAUL FERREIRA DE SOUZA MACHADO, SARA CRISTINE MARQUES DOS SANTOS, THAIS LEMOS DE SOUZA MACEDO, IVANA PICONE BORGES DE ARAGÃO