XVII Congresso Brasileiro de Aterosclerose

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Inibidores de PCSK9 no controle de dislipidemias e redução de eventos cardiovasculares

Resumo

Introdução: A dislipidemia é um fator de risco cardiovascular (CV) de elevada relevância e seu monitoramento impacta na redução de eventos. A pró-proteína PCSK9 bloqueia a decomposição do receptor de LDL-c após a internalização nos hepatócitos aumentando sua disponibilidade, sendo uma nova abordagem na terapia de hipercolesterolemia convencional. O objetivo do presente estudo é analisar a relevância da inibição e a influência nos desfechos CV por meio de ensaios clínicos. Métodos: Realizou-se uma revisão sistemática da literatura com 18 artigos variando entre 2010 e 2017 com o banco de dados disponíveis no Scielo, Lilacs e PubMed. Resultados: O estudo randomizado multicêntrico SPIRE com o fármaco Bococizumabe contou com 16817 pacientes no SPIRE 1 (LDL entre 70 e 100mg/dL) e 10621 no SPIRE 2 (≥100mg/dL). A fração do desfecho primário foi significativamente menor no grupo experimental (p=0,021). Essa diferença não se manteve no SPIRE 1 (p=0,94). Com o seguimento viu-se a diminuição da redução do LDL em 10 a 15% dos pacientes devido anticorpos anti-droga, levando à interrupção do ensaio. O estudo ODYSSEY avaliou o uso de Alirocumabe em 2341 pacientes com LDL≥70mg/dL, sendo 788 com placebo. Após 24 semanas houve redução de 61,9% dos níveis de LDL-c, em contraste com elevação de 0,8% do LDL no grupo placebo e 81% atingiram sua meta de redução de LDL-c comparado a 9% (p<0,0001). A reação na área administrada levou à suspensão da droga em 141 pacientes. Em análise post-hoc observa-se uma menor taxa de eventos em relação ao placebo (HR 0,46; IC 95% 0,26-0,82; p<0,01). O estudo FOURIER relatou o uso do Evolocumabe, um anticorpo monoclonal totalmente humanizado, em 27564 pacientes com doença CV estabelecida em terapia com estatinas. A concentração basal de LDL inicial foi reduzida em 59% (92 mg/dL vs. 30mg/dL; p<0,00001). O uso permitiu a redução de 15% na incidência de eventos (14,6% vs. 12,6%; IC95% p<0,0001). Os índices de revascularização coronária também foram inferiores no grupo (9,2% vs. 7,0%: IC95%). Conclusões: O uso dos inibidores em pacientes com alto risco CV se mostra como um meio seguro e efetivo para a redução de novos eventos e cria, dessa forma, uma perspectiva para a conduta em pacientes não controlados com estatinas. Além disso, ressalta-se o avanço do uso do anticorpo totalmente humanizado e se questiona o impacto de níveis inferiores do LDL-c.

Área

Pesquisa Clínica

Instituições

Universidade de Vassouras - Rio de Janeiro - Brasil

Autores

CAIO TEIXEIRA DOS SANTOS, RAUL FERREIRA DE SOUZA MACHADO, THAIS LEMOS DE SOUZA MACEDO, SARA CRISTINE MARQUES DOS SANTOS, VITORIA HELENA CARVALHO FURTADO DE MENDONÇA, IVANA PICONE BORGES DE ARAGÃO