XVII Congresso Brasileiro de Aterosclerose

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

GPR120 media os efeitos antiinflamatórios do ômega-3 na aorta de camundongos obesos e em knockouts para o receptor de LDL.

Resumo

Introdução: A inflamação crônica de baixo grau induzida pelo consumo de gorduras saturadas ou pela obesogênese é pivô para instalação de comorbidades como diabetes, dislipidemias e aterosclerose. Ácidos graxos ômega-3 (ω3) são extensamente explorados por sua ação anti-inflamatória, apesar de estudos clínicos apontarem incongruências. Em 2010 o GPR120 foi descrito como receptor específico para ω3, sendo o mediador direto de suas ações. Objetivo: Avaliar a ação do ω3 dietético, a presença e atividade do GPR120 na aorta de camundongos obesos ou propensos à aterosclerose. Métodos: Camundongos machos, Swiss ou knockout para o receptor de LDL-/- consumiram durante 8 semanas dieta padrão (CT) ou hiperlipídica (HF) - 31% banha e 4% óleo de soja. Após obesos, os animais HF foram novamente separados e mantidos por mais 8 semanas em: dieta HF;  ou dieta HF, substituída em 1/3 da gordura suína por óleo de semente de linhaça (FS – flaxseed), com 58% de ω3 - C18:3. Ao final do período experimental, sangue e aorta foram removidos e submetidos a análises bioquímicas, histológicas e moleculares. Resultados: A dieta HF foi eficiente em induzir dismetabolismo completo. O tratamento com a dieta FS não interferiu no ganho de peso dos animais, mas restabeleceu a homeostase glicêmica, seguida por ação anti-inflamatória, evidenciada pela redução dos marcadores IL1β; TNFα e P-Ikk, assim como os de estresse de retículo ATF6 e GRP78. Houve melhora na sinalização da insulina, nos marcadores P-IR e P-IRS1. O ω3 ativou o GPR120, evidenciado pela técnica de imunoprecipitação junto à proteína b-arrestina2. Para confirmação da eficiência dietética, a espectrometria de massas mostrou aumento da incorporação do ω3 no endotélio aórtico. Surpreendentemente, a imunohistoquímica revelou a presença do GPR120 nas células endoteliais mas também na superfície de macrófagos infiltrados. Conclusão: Pela primeira vez o receptor de ω3 foi demonstrado no tecido endotelial e também em macrófagos. Apesar do ω3 ter ativado o GPR120 no tecido endotelial, é provável que esse lipídio module a função imune local, controlando o perfil de ação macrofágica e alterar o tônus de sua responsividade. Assim, estratégias nutricionais, em doses factíveis, parecem exercer benefícios que, a longo prazo, podem tornar reais os efeitos preventivos atribuídos ao ω3.

Área

Pesquisa Básica

Instituições

UNICAMP - Sao Paulo - Brasil

Autores

DENNYS ESPER CINTRA, Alexandre Moura Assis, Milessa Afonso, José Rodrigo Pauli, Eduardo Rochete Ropelle, Adelino Sanches Ramos Silva, Leandro Pereira de Moura, Ana Maria Pita Lottenberg